INSIGNIFICÂNCIAS

Sonhei com um espaço de encantamento onde a gente pudesse falar de nossas insignificâncias, dos nossos sentimentos, nossas crises existenciais, das expressões artísticas que nos tocam, um lugar onde nossos espíritos pudessem fugir do embrutecimento que as violências e a dureza do cotidiano nos causam. Mais do que isso... Sonhei com um lugar onde pudéssemos fortalecer nossos espíritos com poesia para resistirmos ao embrutecimento.

O sonho veio para a materialidade e precisava ser batizado, o nome do grupo foi influencia de Manoel de Barros, esse poeta com alma de menino do mato que só enxerga grandeza no ínfimo, no chão e nas insignificâncias. Achei justo que Manoel fosse o padrinho e que o nome do sonho fosse em homenagem a todo encantamento que seus textos produzem em mim.


Para quem é:

Amantes de todo tipo de arte, pessoas interessadas em conhecer novas pessoas, pessoas que procuram trocas significativas, pessoas que sintam a necessidade de encontrar espaços de respiro e encantamento, pessoas que sentem que não cabem em outros espaços, pessoas.


O que é ofertado:

Um espaço de reconexão com nossos sentimentos, nossa essência e as coisas desta vida que são tão essenciais, mas que tem sido vistas como insignificantes... poesia, música, dança, teatro, tudo o que for arte, tudo que seja capaz de nos conectar conosco mesmo e uns com os outros. Um espaço de expressão e acolhimento do que somos e do que nos toca.


Como funciona:

Encontros de três horas de duração, com até 25 pessoas, que ocorrem de forma presencial. É um espaço de construção coletiva, o importante é levar alguma arte (autoral ou não) que você queira compartilhar e estar aberto ao que cada encontro irá nos proporcionar.


Os encontros são gratuitos e acontecem em Limeira-SP, para participar basta preencher o formulário de inscrição.


Vem compor com a gente!


PRÓXIMOS EVENTOS

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

PRODUÇÕES COLETIVAS

Poesia coletiva

CALMA...

Sentir nada também é sentir

Dançar até cansar

No escuro ou na multidão

Com plateia ou não

Contemplar é estar presente

Presença é felicidade

Quando olho para o chão me encontro

"É chegado o momento de ampliar a ciência do que é ser feliz"

Esperto é o seu zé!

No processo de tudo querer

Nos encontramos nos nadas

E significamos o ser.

Poesia concebida na roda de poesia realizada no dia 18/06/2022.

Autores: Alanna Moreira, Aliene Castro, Beatriz Buck, Jéssica Costa, Lucas Barbosa, Rafael Costa e Yasmin Ng.